Fotodepilação na zona genital

A fotodepilação na zona genital revela-se um método cada vez mais adoptado e muito solicitado sobretudo por mulheres. Este método faz parte dos hábitos íntimos de ambos os sexos. A remoção de pêlos na zona genital realiza-se ao longo do ano e não apenas no Verão. Pode ser feita parcialmente ela marca do biquíni brasileiro ou de forma total, ou quase total, dos pêlos púbicos. Este tipo de depilação está a ganhar terreno sobretudo por questões de higiene íntima ao mesmo tempo que se tornou uma moda. Quem experimenta tende a repetir, por gostar do resultado e por não querer voltar à situação original.

Este tipo de depilação utiliza uma luz pulsada, que é uma tecnologia que surgiu após o laser, e que usa um largo espectro de luz que é absorvido pelos pêlos que são os pontos mais escuros da pele. O folículo piloso, entra em tremólise, devido ao excesso de calor e é eliminado. Faz-se com os pelos crescidos, e é aplicado um gel hidratante e redutor de temperatura, De seguida são aplicados disparos em sucessão, de modo a cobrir a área a tratar. Os pêlos caem ao fim de uma a duas semanas. Os pêlos tratados são eliminados definitivamente, contudo podem nascer novos pêlos de novos folículos capilares que se formem. Pode demorar 2 a 5 anos a crescerem novos pêlos ou podem nem chegar a crescer. Geralmente são eliminados mais de 80% dos pêlos das áreas tratadas e os que restam crescem mais fracos.

Este tipo de tecnologia foi testada, e está aprovada. A luz pulsada atinge temperaturas mais baixas (70ºC) do que o laser (300ºC), o que quase elimina o risco de queimaduras ou de pigmentação, mantendo a eficácia dos resultados. Este tratamento não dói, apenas se sente uma impressão de calor, a intensidade dessa sensação depende da sensibilidade de cada pessoa. Após o tratamento deverá ter cuidado com a exposição ao sol, e deve proteger a pele tratada com um protector solar, principalmente no verão durante os primeiros sete dias.

Partilhar