Depilação Integral – Sim ou Não?

São várias as clínicas de estética onde a depilação integral faz parte das ofertas do estabelecimento. No que toca a depilação na zona púbica, as opções são variadas. Desde o mais natural e cabeludo até ao lisinho sem sinal de pelo à vista, a escolha é muita.

Saiba mais sobre a Depilação Integral

Saiba mais sobre a Depilação Integral

Mas falemos então de depilação integral. Primeiro que tudo, é importante que esta seja realizada por um profissional da área. É uma zona extremamente delicada, propícia a feridas por queimadura ou uso incorrecto de força ao retirar a cera.

Para não falar, que é uma zona que está em constante fricção com a roupa interior, o que faz com que fique ainda mais sensibilizada.

Como os pelos nesta zona são mais densos e fortes, é bastante recorrente que ao nascerem, não nasçam na orientação correcta, encurvando e dando origem ao chamado “pelo encravado”.

Apesar de evitar o quente da cera e o puxão nesta área de pele tão sensível, o uso de Gillette não é recomendável. Como se sabe a lâmina da Gillette corta o pelo, ou seja, não o retira pela raiz, o que significa que irá voltar a crescer cada vez mais forte.

Também não evita os pelos encravados, para além de que aumenta o risco de cortes e feridas nesta área de tão grande sensibilidade.

Depilação Integral / Depilação Definitiva

A depilação definitiva é por tal, a melhor opção a escolher no que toca a este assunto. Aliás, a depilação definitiva é geralmente a melhor opção em variadíssimas situações. Especialmente, no que toca a um tipo de pelo como é comum de encontrar na zona púbica: forte e denso.

Há vários médicos que defendem uma depilação não integral. Como anteriormente foi falado, esta é uma zona extremamente sensível e propícia a doenças e/ou infecções. A ausência de qualquer pelo nesta área, torna a zona altamente exposta e na opinião de vários profissionais, em perigo.

É portanto, importante pensar bem antes de recorrer a um tipo de depilação tão “extremo”. Apesar de prático no verão (e em qualquer época do ano, sejamos sinceras) e de, segundo alguns estudos, aumentar o prazer sexual, em especial no sexo oral, há que ter em consideração os riscos.

Claro que a hipótese “depilação definitiva” é bastante aliciante no que toca a este assunto. Não só nos dá a hipótese de não “sofrermos” de mês a mês, como previne os ditos pelos encravados, irritações provocadas pela cera, entre outras. Contudo, não impede alguns dos riscos acima falados.

Há que pôr tudo na balança e pensar. A depilação definitiva é o acertado para estes casos, mas será acertado uma escolha tão radical?

Aconselhe-se com um profissional e desfrute da melhor escolha.

Partilhar