Tudo o que precisa de saber sobre depilação íntima total

São cada vez mais as mulheres que optam por fazer a depilação definitiva íntima total. Seja por uma questão de higiene, estética ou outra, há muitas mulheres a optar por remover totalmente os seus pelos da região íntima.

Se ainda não enveredou por esta moda mas está a pensar em aderir, então neste artigo poderá saber tudo o que precisa sobre depilação definitiva íntima total.

Está farta de tirar os pelos todas as semanas ou todos os meses? Saiba mais sobre depilação definitiva no artigo “Mitos e verdades sobre a depilação definitiva“.

depilação íntima total

O que se considera depilação íntima total

O conceito é simples. A depilação íntima total, moda cada vez mais popular entre mulheres, consiste na remoção total dos pelos da zona íntima, ou seja, na região da vagina e do ânus.

As razões para as mulheres optarem por este tipo de depilação na zona íntima são várias, sendo as mais habituais uma questão de conforto na época mais quente, a higiene, uma forma de provocar sexualmente o parceiro, ou simplesmente, por ser a moda.

Contudo, é importante ter consciência que os pelos nessa zona do corpo tem as suas funções, sendo a mais importante a proteção dos lábios vaginais. Ora, ao serem retirados podem surgir alguns efeitos menos desejados, como por exemplo, irritação devido ao contacto direto, e consequente atrito, da roupa com a pele.

Conheça de seguida os métodos habitualmente utilizados na depilação íntima total.

Como fazer a depilação íntima total – cera, lâmina ou depilação definitiva

– Cera

A cera é uma das técnicas mais adequadas para retirar totalmente os pelos da zona íntima. Ao realizar a depilação íntima com uma profissional, ela irá saber fazê-la usando a cera com a temperatura certa para não queimar a pele, e ao mesmo tempo, conseguindo retirar os pelos pela raiz.

Mas, ao contrário da depilação definitiva com laser, terá de “sofrer” um pouco todos os meses.

– Lâmina

A lâmina, método que geralmente é utilizado pelas mulheres que preferem fazer a depilação em casa, é a técnica mais agressiva e menos recomendada.

Além de poder causar inchaço, provocar pelos encravados, pode ainda cortar a pele, causando feridas e pele irritada. E claro, há ainda o grande inconveniente de passado um ou dois dias os pelos começarem novamente a serem visíveis.

– Depilação definitiva com laser

A depilação definitiva é cada vez mais uma opção popular entre as mulheres. Apesar de ter um custo a curto prazo mais elevado, o facto de ficar de oito a dezoito meses sem nascerem após um tratamento de seis sessões em média, faz da depilação definitiva a melhor opção.

Mesmo a nível de custos. E além disso, depois do tratamento, bastam algumas sessões de manutenção periódicas para manter os resultados da depilação definitiva.

Está a pensar em aderir à depilação definitiva para depilar a sua zona íntima? Saiba mais no artigo “O que deve saber antes de fazer depilação a laser“.

Sendo uma das zonas mais sensíveis do corpo humano, são necessários alguns cuidados com este tipo de depilação. Assim, em caso de lesão, mesmo que pequena, nessa área, deve evitar fazer a depilação íntima total, seja com depilação definitiva ou outro método.

Primeiro deve tratar a ferida e apenas depois avançar com a depilação.

Partilhar